InícioAjudaPesquisaCalendárioEntrarRegiste-se

Olá, Visitante. Por favor Entre ou Registe-se se ainda não for membro.
Perdeu o seu e-mail de activação?
Julho 30, 2014, 10:03:23

Entrar com nome de utilizador, password e duração da sessão
Pesquisa

FÓRUM ECO-GAIA
Um Projecto ECO-GAIA: www.eco-gaia.net ... Powered by: PTWS - ptwebserv.com

News
...::: AVISO LEGAL :::...

- As mensagens, artigos e atitudes dos utilizadores expressam apenas o ponto de vista do seu autor e não do projecto FÓRUM ECO-GAIA, da sua equipa de gestão, das associações/projectos ou dos restantes utilizadores.

- O Projecto FÓRUM ECO-GAIA e a sua equipa de gestão não garantem a veracidade das mensagens e não se responsabilizam pelo conteúdo das mesmas. O conteúdo de cada mensagem é da total responsabilidade do seu autor.

Stats
2.239 Mensagens em 1.057 Tópicos por 1.501 Membros
Membro Mais Recente: Raku
+  FÓRUM ECO-GAIA - Por um Mundo Melhor
|-+  ..:: INFONATURE.ORG ::..
| |-+  - AMBIENTE
| | |-+  Notícias, Artigos e Estudos Científicos
| | | |-+  PERIGO: Aditivos quimicos nos alimentos
0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico. « anterior seguinte »
Páginas: [1] Imprimir
Tópico: PERIGO: Aditivos quimicos nos alimentos  (Lida 22669 vezes)
Namaste
Moderador Global
Membro Veterano
*****

KARMA: 3
Offline Offline

Mensagens: 811



WWW
« em: Janeiro 21, 2007, 02:43:36 »



Aditivos quimicos nos alimentos
O porquê dos aditivos no nosso prato?


Para evitar comprar produtos alimentares com aditivos, leia sempre o rótulo ou compre produtos biológicos, pela sua saúde, e pelo ambiente.

Com a crescente proliferação da indústria agro-alimentar, a perspectiva da maximização do lucro com o menor custo de produção associado levou à busca por alternativas de transformação, conservação e alteração química dos alimentos.

O tratamento químico tem início nos próprios campos de cultivo, por recurso a pesticidas, adubos artificiais e manipulação genética de sementes, dando origem a alimentos pouco atraentes e sem qualquer sabor, com um período de conservação limitado e dotados de baixo valor nutricional. Daqui decorre que, para a sua comercialização, a indústria contrata especialistas em bioquímica, por forma a aumentar a sua atractividade usando centenas de aditivos para colorir artificialmente, intensificar o sabor, aumentar o tempo de conservação, etc.

Actualmente, sob a legislação da U.E. estão abrigados cerca de 400 aditivos alimentares. No entanto, esta pressão da indústria agro-alimentar conduziu e conduz até aos dias de hoje a um crescente consumo de produtos cada vez menos frescos e saudáveis, levando a procura a incidir sobre os que se demonstraram mais rentáveis para a fonte da sua produção.


O significado dos códigos E nas etiquetas?

Por forma a promover a consecução do objectivo de controlo e regulamentação de aditivos alimentares, proibindo substâncias nocivas e limitando a quantidade das restantes, a U.E. criou uma lista oficial dos aditivos alimentares autorizados e forçou a indústria à aplicação de etiquetas com a designação dos utilizados na produção de cada alimento.
Assim sendo, cada produto da lista em questão é identificado por um código composto pela letra E seguida de 3 ou 4 algarismos.

Ex.: E300 é o código do ácido ascórbico (ou vitamina C), um aditivo que, embora exista sob a forma natural em diversos frutos e legumes, é produzido actualmente na indústria por via sintética ou por engenharia genética.

O primeiro algarismo do código E representa, geralmente, a característica principal do aditivo, pelo que se podem definir as seguintes categorias:

E1: Corantes alimentares de E100 a E180
E2: Conservantes de E200 a E297
E3: Antioxidantes de E300 a E321
E3: Antioxidantes, emulsionantes e estabilizantes de E322 a E385
E4: Emulsionantes, espessantes, gelificantes e estabilizantes de E400 a E485
E5: Ácidos, alcalis, sais etc de E500 a E585
E6: Intensificadores de sabor de E620 a E640
E9: Diversos (os edulcorantes vão do código E950 ao E967)

Nota: Os códigos E7 e E8 não são ainda utilizados


Um estudo realizado nos E.U.A. revelou que o americano médio consome 52 kg de aditivos alimentares por ano.

Seguidamente apresentam-se unicamente os aditivos alimentares de origem origem animal, potencial ou determinada


E120 - Cochonilha, ácido Carmínico, Carmim, vermelho natural 4, corante de origem animal

E160a - Alpha caroteno, Beta caroteno, caroteno Gma, corante de possível origem animal

E161g - Cantaxantina, corante de possível origem animal

E252 - Nitrato de Potássio (Salitre), conservante de possível origem animal

E270 - ácido Láctico, conservante / ácido / antioxidante de possível origem animal

E322 - Lecticina, Emulsionante de possível origem animal

E325 - Lactato de sódio antioxidante de possível origem animal

E326 - Lactato de potássio, antioxidante/regulador de acidez de possível origem animal

E422 - Glicerol, emulsionante/adoçante de possível origem animal

E430 - Estearato de Polioxietileno(Cool, emulsionante / estabilizador de possível origem animal

E431 - Estearato de Polioxietileno (40), emulsionante de possível origem animal

E432 - Monolaurato de polioxietileno 20, emulsionante de possível origem animal

E433 - Monooleato de polioxietileno sorbitano, polissorbato, emulsionante de possível origem animal

E434 - Monopalmitato de polioxietileno sorbitano, polissorbato 40, emulsionante de possível origem animal

E435 - Monoestearato de polioxietileno sorbitano, polissorbato, 60 emulsionante de possível origem animal

E436 - Triestrearato de polioxietileno sorbitano polissorbato 65, emulsionante de possível origem animal

E441 - Gelatina, emulsionante e agente gelificante origem animal

E442 - Fosfatidatos de amónio, emulsionante de possível origem animal

E470a - Sais de sódio, de potássio, cálcio e de ácidos gordos, emulsionante/estabilizante de possível origem animal

E470b - Sais de magnésio de ácidos gordos, emulsionante/estabilizante de possível origem animal

E471 - Mono e diglicéridos de ácidos gordos, emulsionante de possível origem animal

E472a - ésteres de ácido Acético de mono e diglicéridos de ácidos gordos, emulsionante de possível origem animal

E472b - ésteres lácticos de mono e diglicéridos de ácidos gordos, emulsionante de possível origem animal

E472c - ésteres cítricos de mono e diglicéridos de ácidos gordos, emulsionante de possível origem animal

E472d - ésteres de tartáricos de mono e diglicéridos de ácidos gordos, emulsionante de possível origem animal

E472e - Ésteres monoacetiltartáricos e diacetiltartáricos de mono e diglicéridos de ácidos gordos, emulsionante de possível origem animal

E472f - Ésteres mistos acéticos e tartáricos de mono e diglicéridos de ácidos gordos, emulsionante de possível origem animal

E473 - Ésteres de sacarose de ácidos gordos, emulsionante de possível origem animal

E474 - Sacaridoglicéridos, emulsionante de possível origem animal

E475 - Ésteres de poliglicerol de ácidos gordos, emulsionante de possível origem animal

E476 - Polirricinoleato de poliglicerol, emulsionante de possível origem animal

E477 - ésteres de 1, 2 propanodiol de ácidos gordos, emulsionante de possível origem animal

E478 - ésteres de glicerol e lactilato de propano-1 de ácidos gordos, emulsionante de possível origem animal

E479b - Produto da reacção de óleo de soja oxidado por via térmica fundido com mono e diglicéridos de ácidos gordos, emulsionante de possível origem animal

E481 - Oleostearilo-2-lactilato de sódio, emulsionante de possível origem animal

E482 - Oleostearilo-2-lactilato de cálcio, emulsionante de possível origem animal

E483 - Tartarato de estearilo, emulsionante de possível origem animal

E491 - Monoestreato de sorbitano, emulsionante de possível origem animal

E492 - Triestreato de sorbitano, emulsionante de possível origem animal

E493 - Monolaurato de sorbitano, emulsionante de possível origem animal

E494 - Monooleato de sorbitano, emulsionante de possível origem animal

E495 - Monopalmitato de sorbitano, emulsionante de possível origem animal

E542 - Fosfato de cálcio, estabilizante de origem animal

E570 - Ácidos gordos, estabilizante de possível origem animal

E572 - Estearato de magnésio, estearato de cálcio emulsionante/estabilizante possível origem animal

E585 - Lactato ferroso, corante de possível origem animal

E631 - Inosinato dissódico, intensificador de sabor de possível origem animal

E635 - 5`Ribonucleótidos dissódico, intensificador de sabor de possível origem animal

E640 - Glicina e respectivo sal de sódio, intensificador de sabor de possível origem animal

E901 - Cera de abelhas, branca e amarela, agente envernizador de origem animal

E904 - Goma laca, agente envernizador de origem animal

E910 - L-cisteína, origem animal

E913 - Lanolin, gordura de lã de ovelha, agente envernizador de origem animal

E920 - Hidrocloreto de L-cisteína agente melhorador de origem animal

E921 - Monohidrato hidrocloreto de L-cysteína, agente melhorador de origem animal

E966 - Lactitol, adoçante de origem animal

Neste documento encontra-se esta lista, num formato que pode ser imprimido em A4 para fazer uma brochura desdobrável: Brochura.


Fonte: http://www.centrovegetariano.org/index.php?article_id=275


---
Referências:

http://www.bryngollie.freeserve.co.uk/Enumbers.htm

Guia rápido de compras (2002) Publicações Prevenção de Saúde. Lda

Para mais informações consultar também: http://www.espinet.org

VENENO NO SEU PRATO? Utilidades e riscos dos aditivos alimentares - Publicado pela Proteste (Edideco 2002)


« Última modificação: Janeiro 21, 2007, 02:50:22 por Earth First » Registado

The Animal Holocaust: www.petatv.com
Miguel2009
Iniciante
*

KARMA: 0
Offline Offline

Mensagens: 1


« Responder #1 em: Novembro 19, 2009, 10:59:11 »

Sou estudante universitário na área alimentar e para mim os aditivos representam um importante instrumento de trabalho, sem o qual a disponibilidade de alimentos, tal qual a conhecemos hoje, seria impossível. Concordo com o que foi dito, mas há muito mais a dizer sobre o assunto.
A lista mais completa de aditivos alimentares que consegui foi a de um consultor na área da tecnologia alimentar (http://pedrofranco.webnode.com/news/aditivos-alimentares-autorizados). Este site tem 4 páginas só sobre aditivos alimentares. Está lá tudo.
Nunca compreendi muito bem o secretismo à volta dos aditivos. Claro que não se trata de um segredo, mas a dificuldade em ter uma lista fidedigna e completa, quase que parece...
Depois, as listas que normalmente encontramos, mesmo na Lei, não são completas (pelo menos num mesmo documento), não dão muitas informações acerca do seu uso tecnológico, e muitas outras coisas que são necessárias.
Para mim, os aditivos alimentares deviam ser abertamente discutidos.
Registado
Páginas: [1] Imprimir 
« anterior seguinte »
Link para o calendário
Ir para:  

Powered by SMF 1.1.18 | SMF © 2006-2009, Simple Machines